quarta-feira, 16 de abril de 2008

Um Gasparense na Disney




Como bem acompanharam os (poucos) leitores do meu finado brogui, dediquei, praticamente, todo o ano de 2007 à viabilização da minha ida aos Estados Unidos. Foram tantas celeumas, tantas entrevistas com indivíduos de sexualidade duvidosa. Só pra conseguir a porcaria do passaporte já foi um pau, culminando com o envio de um requerimento pro delega da Delegacia Federal de Itajaí. No fim tudo deu certo, trabalhei nos EUA, dei “umas banda” por lá e depois voltei pra minha vidinha. E só pra mais essa minha saga entrar pros anais da história, e quem sabe até ajudar algum infeliz ai no futuro, selecionei e relacionarei abaixo os post mais relevantes dessa minha jornada rumo ao berço* do capitalismo selvagem:

Postado originalmente em 13/06/2007:

Como é do conhecimento dos inumeráveis leitores deste blog, não ando postando muita coisa em função de estar estudando para o concurso de Escravo Nível 2 da Comarca de Witmarsum, que irá se realizar neste final-de-semana. Na semana que vem, é bem provável que tudo volte ao normal, inclusive com um post gigante das pérolas do Professor Mirabolante.

Ademais, diante da minha inércia, vários fãs e admiradores me mandaram e-mails querendo saber "a quantas anda" a minha vidinha nesta cidade maldita. É o que passo a expor:

1) *censurado*

2) me inscrevi em um bizu para vender minha força de trabalho para os brothers da Disney Uord. Semana passada fui na 1ª seletiva em Curitiba. Se aprovado for, o que ficarei sabendo sexta-feira agora, irei para a 2ª seletiva em São Paulo, na qual, segundo consta, terei que me submeter ao teste do sofá, a fim de garantir meu ingresso no mundo mágico de Walt Disney. De qualquer sorte, deixarei para tecer maiores comentários se for aprovado na 1ª seletiva.

Por enquanto é isso, adios

Postado originalmente em 15/06/2007:

Há uns dias atrás eu havia dito que me inscrevi em um negócio pra trabalhar na Disney durante as férias de verão. Não obstante minha ficha criminal, hoje fique sabendo que fui aprovado para a 2ª e definitiva entrevista, a qual se realizará em São Paulo, em meados do mês de agosto.

Se aprovado for, este será o primeiro blog de um brasileiro que foi trabalhar na Disney a observar as normas mais elementares de ortografia e concordância.

"Como assim?!", você deve estar se perguntando. Sente só o naipe das pessoas que são aprovadas:

- trabalhandonadisney.blogger: "e meu prossimo day off eh na seguda mas topenssando em pegar umas horas extras nos strollers de magic kingdon...." - Grifei.

Vai se f*der, se uma pessoa que escreve proximo com dois esses consegue, até eu consigo.

Postado originalmente em 17/06/2007:

Hoje foi a prova do concurso para o cargo de Juiz Substituto Vitálicio-Mor Nível 37 Ad-Hoc da Comarca de Witmarsum. Ao que tudo indica, fui pro barro, mas vou esperar a publicação do gabarito antes de ficar me lamuriando.

De qualquer sorte, tendo este meu antigo sonho se esvaído em nada, estabeleci como novo objetivo: ir vender minha força bruta e barata para O Grande Irmão. Para quem possa interessar, é o que passo a expor, já que em todos os outros blogs de brasileiros que foram para Disney, o máximo que encontrei foram toda sorte de violências contra o vernáculo e informações muito esclarecedoras do tipo: "Pessoal super empolgado e tals! Irado! Varias festas, a policia ja foi no hotel 3 vezes, ahuhuaa!"...

No dia 04.06.2007, uma segunda-feira, peguei um Verde-Vale em direção a Curitiba, a fim de me inscrever no Walt Disney World International College Program. Lá assisti a uma palestra, ministrada pela STB, em inglês sobre o programa, a qual se realizou em um dos anfiteatros da UNICEMP. Resumindo: $ 6,67 por hora, é necessário trabalhar no mínimo 30 horas por semana, você fica em um alojamento da Disney especifico para os "cast member" (na Disney, você não é mão de obra barata e desqualificada do terceiro mundo, você é um cast member), você não pode se drogar nem encher a caveira, blablabla, custo aproximado para participar do programa uma vez aprovado na segunda seletiva: $ 1.300,00.
Finda a exposição, preenchi um formulário com os meus dados, e peguei uma senha para ser entrevistado dali algumas horas. Também fui informado que eu tinha até quarta-feira para levar na STB de Curitiba: duas fotos 5x7 sorrindo e um currículo em inglês.
É interessante ressaltar que, segundo informações prestadas pela própria STB em uma ligação telefônica feita alguns dias antes, não haveria entrevista na primeira seletiva e não seria necessário levar nenhum documento. Pau na ponba!
Fiquei umas duas horas de bobeira lá na UNICEMP, quando então, chegou minha vez de ser entrevistado.
A entrevista foi feita por um cara que respondia pela alcunha de Fred, não obstante, ele era um cara bem xente boa. A entrevista foi toda em inglês, e essas foram as perguntas: Qual era meu nome, qual era a data do meu aniversário, por que a disney deveria me contratar, se eu tinha alguma habilidade especial, e quais eram meus hobbies. Terminada a entrevista, Fred me alertou que, caso eu fosse aprovado nesta fase, deveria ir de terno e gravata na segunda entrevista. Me causou certa estranheza eles exigirem isso de um cara que vai ficar limpando lixeiras e vômitos. Tudo terminado, peguei outro Verde-Vale e voltei pra terrinha. Aqui chegando, tirei as fotos, sorrido, e confeccionei um currículo em inglês. Como não podia, e não era afim de voltar a Curitiba para entregá-los na STB, botei tudo em um envelope e mandei via sedex.
Algo em torno de duas semanas depois, 15.06.07, acessei um site informado no dia da entrevista e verifiquei que havia sido aprovado para a segunda seletiva que ocorrerá em meado de agosto, na cidade de São Paulo, com o pessoal da Disney.

"O resto é galinhagem." - Professor Chatolino

Postado originalmente em 29/06/2007:

Momento de desabafo:

A fim de garantir minha vaga no Mundo Mágico de Walt Disney (sic) preciso de um passaporte. Então, há um mês atrás, dei entrada na "parada" através do site da DPF. Feito isso, tive que entrar em contato telefônico com a Delegacia de Plcia Fdrl de Tajaí para agendar a data da entrega dos documentos.

A "mocinha" que me atendeu disse que eles "só agendam na sexta e pelo telefone (47 3249-6757)". Tudo bem. Tornei a ligar na sexta e "picas". O telefone sequer tocava, quiçá agendar a maldita data. Então tá. Liguei na segunda-feira subseqüente. A mocinha, dessa vez, atendeu o telefone. Expliquei, em síntese, a minha situação e que precisava do maldito passaporte. A guria cagou e andou pra mim, alegando que "só agendamos a data às sextas-feiras" e mandou “que eu tentasse denovo na próxima sexta-feira” Pensei comigo mesmo: *censurado*.

Na sexta-feira, como um tolo, tornei a ligar nutrindo a vã esperança de conseguir marcar a data. Vale ressaltar que, esse agendamento, é referente só a entrega dos documentos necessários a fim de que eles possam dar inicio a confecção do passaporte. Mas tá, como ia dizendo, liguei na outra sexta, e novamente, o telefone sequer tocava. De qualquer sorte, fiquei o dia inteiro, das 8 às 17 horas, tentando ligar. Passadas as 17 horas da tarde, horário no qual termina o "expediente" daqueles que lá trabalham, liguei, só a guiza de curiosidade, e não é que o telefone tocou, mas tocou até o fim, todos os filhos-de-santa que lá laboram já deviam ter ido embora após um árduo dia de trabalho.

Resumindo, tenho um mês para conseguir o maldito passaporte, caso contrário, pra variar, mais esse meu plano vai pro saco.

Postas estas considerações, tendo passado mais uma sexta-feira sem que ninguém se desse ao trabalho de, ao menos, botar o telefone no gancho, vou ligar, novamente, na próxima segunda pra bater um papo cabeça "ca mina". Neste telefonema exporei de forma polida e desesperada meu problema e exigirei uma solução. Caso ela torne a cagar para mim, entrarei em contato com meus adevogados e meterei no pau, no sentido jurídico, é claro.

Fiquem "ligados", en preve estarei tecendo maiores considerações sobre esta questã.

No mais, peço àqueles que aqui freqüentam, se é que existem. Que mandem mensagens para o Lula, mentendo a boca, no sentido jurídico, é claro, na Delegacia de Plicia Fdral de Tajaí.

Postado originalmente em 02/07/2007:

Liguei para DPF em Tajaí hoje para tentar resolver meu problema.

-Robaco: *em síntese, expliquei de forma emocionada e comovente minha necessidade e pedi por amor a Deus que me agendassem uma data para entregar os documentos, já que há várias sextas feiras venho tentado fazer o tal agendamento sem sucesso*

-Atendente: Tens que continuar tentando ligar às sextas.

TU TÁ DE SACANAGEM COMIGO NÉ? CONTINUAR TENTADO? TU QUER QUE EU ACREDITE QUE SE EU FICAR TENTANDO MAIS UMA SEXTA FEIRA, GASTANDO TELEFONE O DIA TODO, UMA HORA EU VOU CONSEGUIR? TU SABE QUE NEM EU E NEM O PAPA VAMOS CONSEGUIR! TU SÓ PODE TÁ DE BRINCADEIRA COMIGO! OBRIGADO POR NADA! ESPERO QUE VOCÊ PEREÇA DE UMA MORTE LENTA E DOLOROSA NAS MASMORRAS DO INFERNO E PELAS MÃOS DO CÃO EM PESSOA!

Infelizmente não externei minha ira e meu ressentimento, como me é característico, e apenas me despedi da mocinha, soluçando de pesar e tristeza, já que, como sempre, todos os meus planos e esperanças se esvaem em nada.

Postado originalmente em 03/07/2007:

Essa semana irei protocolizar um requerimento contando toda a minha "estórinha" pro Seu Delegado, e, por conseguinte, mendigando, pelo amor de deus, que me seja agendada uma data para entregar os benditos documentos necessários ao "fazimento" do passaporte. É meu último e desesperado ato.

Postado originalmente em 09/07/2007:

Tenho uma boa notícia para aqueles que vêm acompanhando minha homérica saga na busca pelo passaporte. Eu falei cuma mina que pega um cara, que trabalha prum bacana, que é parça do delega, sacumé? Dai, essa mina falô pro cara que ela pega, que falô pro chicoso pra quem ele trabalha, que falô co delega, que falô pro bacana, que: "na quarta, mais tardar na quinta feira", vai arregar uma data pra eu ir lá entregar os papel. Dá hora, velho!

Postado originalmente em 21/07/2007:

Só pra não dizerem que é choradeira minha.

Coluna de Valther Ostermann publicada no Jornal de Santa Catarina dos dias 21 e 22 de julho de 2007, edição nº 11046.

Meu Brasil brasileiro

O amigo aí pretende viajar para o Exterior, a passeio ou a negócios? Já providenciou o passaporte?

Não?

Então desculpe, mas tenho péssimas notícias para você. Para começo de conversa, tem que ir a Itajaí. Mas calma, não é tão fácil assim. Antes tem que agendar, junto à Polícia Federal de lá, por telefone.

Fácil? É o que você pensa. Só vale ligar às sextas-feiras. O número é (47) 3249-6757. Somente nas sextas, não esqueça.

Agora tente. Viu?

Pois é. É preciso sorte. Sexta passada a coluna testou, a tarde inteira. Nem com reza braba.

Tem gente que está nesta luta há um mês.

Postado originalmente em 22/07/2007:

Mandei um e-mail pro Valther Osterman, me lamuriando, é claro, referente àquele comentário dele na sua coluna do Santa. Sendo que ele prontamente respondeu:

"Isso é Brasil e seu governo. Aquele meu amigo norueguês, o Ibsen, vive pedindo para que eu explique o país, como se isso fosse possível. Se fosse um país sério, você poderia processar o governo por incompetência, mas aqui...
Obrigado pelo toque, #$%@&*.
Grande semana.
Valther"

E eu continuo na minha homérica saga em busca do passaporte. Terça-feira mandarei um de meus asseclas à Itajaí para protocolizar um requerimento mendigando a benevolência do Seu Delegado. Como se agendar uma data para mim ir lá levar os documentos fosse um favor, e não uma obrigação deles. Mas tudo bem, sou gasparense e não desisto nunca!

Postado originalmente em 24/07/2007:

Diretamente da Torre de Marfim, trago-vos a última notícia no que tange minha saga em busca do passaporte.

Já estou de posse da minha via, devidamente protocolizada, do requerimento que um de meu asseclas levou a DPF de Tajaí hoje no período da manhã.

Caso o senhor delegado não tenha pena de mim, e indefira meu requerimento, este instruirá Ação de Danos Morais e Estéticos c/c Pensão Vitalícia que meus advogados irão mover contra o Presidente Lula.

Postado originalmente em 25/07/2007:

Sim, ainda existe luz no fim do túnel.

Como vocês sabem, ontem meu requerimento foi protocolizado na DPF de Tajaí. Neste requerimento, eu clamei pela benvolência do Sr. Delegado, para que este agendasse uma data para eu ir lá levar a papelada e dar início a confeccção do passaporte.

Pois bem, hoje já me ligaram da DPF dizendo que o Sr. Delegado havia deferido meu requerimento e já agendaram a data pra mim ir lá. Dá hora, velho!

Agora, quem sabe, já posso ir bolando as lorotas que irei contar para os entrevistadores da Disney. Alguma sugestão?

Postado originalmente em 27/07/2007:

Fui à Itajaí hoje levar os negócios.

Mas o fato mais marcante foi que, após ser atendido, e ainda dentro das dependências da DPF, fui abordado por uma equipe da Univali TV. Aproveitei a oportunidade para contar minha saga.

E só para constar, depois de tudo que passei, telefonemas sem fim, choradeira, depressão, requerimentos para conseguir o agendamentento. Descobri que, a partir de hoje, o agendamento será feito pela internet... Fim de carreira! Mas tudo bem, o importante é que, ao que tudo indica, meu passaporte fica pronto dia 06/08.

Postado originalmente em 08/08/2007:

"Prezado(a) Robaco da Silva,

Como informado anteriormente, para continuar no processo do WDW International College Program 2007, você deverá assistir à Palestra com os recrutadores da Disney em São Paulo, conforme dados abaixo:

Sua palestra está agendada para dia 29 de Agosto, quarta-feira.

Horário: 08:00 AM.
Local: Hotel Pestana.
Endereço: Rua Tutóia, 77 – Jardim Paulista.
(Esquina com a Avenida Brigadeiro Luis Antoinio - Próximo a Estação Brigadeiro do Metrô)
Sala Bellatrix (3º Andar)

Você deverá chegar no horário informado. Atrasos não serão tolerados.

Ao final da apresentação, o Staff do STB lhe informará sobre a data e horário de sua entrevista com os recrutadores da Disney. Esta entrevista será agendada para o mesmo dia ou para os dias posteriores.

Os candidatos de outros Estados terão prioridade nas entrevistas, podendo ocorrer no mesmo dia, ou no dia seguinte. Devido a grande quantidade de candidatos de outros Estados, a Disney não pode garantir que todos serão entrevistados no mesmo dia, programe-se para ficar em São Paulo caso necessário.

DRESS CODE para a palestra e entrevista: Social.

Todos os candidatos deverão vestir:

Homens - calça social, camisa social e sapatos. Camisetas, jeans, bermudas, tênis, brincos e piercings não serão aceitos. Todos devem estar barbeados.

Mulheres - calça ou saia social, camisa social e sapatos. Camisetas, jeans, tênis, piercings e maquiagem pesada não serão aceitos.

IMPORTANTE – Proof of Student Status:

Como informado anteriormente na etapa 2 da área de selecionados, todos os candidatos pré-selecionados para o Walt Disney World International College Program, deverão entregar o documento “Proof of student Status´ preenchido e assinado pela Universidade."

Postado originalmente em 11/08/2007:

Após uma árdua batalha, sexta fui¹ à Itajaí pegar meu passaporte. Agora é só esperar até o dia 29 de agosto pela entrevista e ver se vou ser aprovado, ou não.
De qualquer sorte, tentei, sempre respeitando o vernáculo, documentar e descrever ao máximo essa primeira etapa, já que, quando eu precisei dessas informações e tentei encontra-las em blogs de indivíduos que foram para a Disney à trabalho, o máximo que encontrei foram comentários sobre "festas iradas", "agradecimentos à MiGuXxoS" e falta de concordância verbal/nominal.
Então, se eu for pro barro dia 29, espero que algum incauto possa achar de alguma valia essas informações no futuro.

Postado originalmente em 18/08/2007:

Ainda na minha ânsia em ser mão de obra barata e desqualificada do terceiro mundo, digo, em ser um Cast Member da Disney, devo ir a São Paulo no dia 29 de agosto e por lá ficar alguns dias, a fim de me submeter ao crivo dos gringos.

Para tanto, pegarei um busão no dia 28/08 às 19:00 em Blumenau, e, segundo informações, devo chegar na capital paulista às 05:00 horas do dia seguinte.

Chegando lá, pegarei um Taxi até o Blue Tree Towers Paulista Premium onde já reservei a suite presidencial. Após o check-in, me arrumarei para a entrevista, já que eles exigem que você vá de terno e barbeado. Sim, você será contratado para limpar a bunda da juventude burguesa do mundo e eles exigem que você vá todo emperequetado na entrevista. Fim de carreira, mas tudo bem.

Postado originalmente em 20/08/2007:

"Ola pessoas ki vao acompanhar minhas "INCRIVEIS ANVENTURAS" na terra magica da Disney!
Vou comecar screvendo aki do Brasil mesmo... pq nao consigo pensar em outra coisa a nao ser DISNEY DISNEY DISNEY e ninguem vai aguentar fikar me ouvindo por muito tempo! Preciso de um lugar pra descarregar!!!" (...) "Olha ki lindu fikou o blog!!!!!! todo super disneyyyy!!!! aiiii adoreiii!!!!!
Tenho q agradecer a Anita!!!! Ki vai pra disney tb!!! Ela ki me ajudou (fez tudo pra mim) durante minha crise de analfabetisse em relacao a blogs e linguagens de internet!!!
Mtoooo Obrigada Anita!!! To doida pra gente ir pra Disney logo e se divertir horrores!!!!" *

É uma pena que o critério de seleção não seja escrever uma dissertação respeitando as normas mais essenciais de gramática e concordância.

E sim, essa guria foi aprovada para o ICP da Disney em 2004-2005. O que só comprova minha teoria de que: se eles aprovam uma pessoa que escreve "screvendo" e "analfabetisse", até eu consigo.

No mais, menção honrosa pro post onde a guria relacionou todas as coisas que ela botou na mala. Duas malas na verdade, a guria levou duas malas de roupa e, pasmem, quase 40 cd's de música. Passo merda na cara...

Postado originalmente em 26/08/2008:

Dia 28 às 18h30min vou pegar um cipó¹ na frente do Posto Xulinho da Rua Cel. Aristiliano Ramos, a fim de ir à palestra/entrevista com os recrutadores da Disney.

O negócio vai ser às 8 horas. Segundo informações, devo chegar a São Paulo lá pelas 5 horas do dia 29.

Chegando lá, pegarei um táxi até o hotel² onde me hospedarei e que fica apenas a algumas quadras do lugar³ aonde vai rola a parada.

Se tiver sorte, serei entrevistado no mesmo dia.

¹ - R$ 110,00 só de ida pela JGM Rainha
² - Formule 1
³ - Hotel Pestana

Postado originalmente em 31/08/2007:

Terça passada, (28/08) às 18h30min, deixei para trás o marasmo que é Gaspar e peguei um ônibus rumo à São Paulo.


eLá pelas 5 horas da manhã, o motora do busão me deixou no primeiro ponto de táxi da Avenida Paulista.


Peguei um táxi até local x. Arrumei-me. Cheguei ao Hotel Pestana às 07h30min já que “atrasos não seriam tolerados”.


Ao chegar ao saguão do hotel, me deparei com uma galera, pelo menos umas 400 pessoas, que também eram candidatas ao ICP da Disney.


Lá pelas 07h50min a massa humana começou a subir as escadas rumo ao auditório. Segui a maré.


Acomodei-me. O pessoal da STB deu algumas rápidas instruções sobre o preenchimento da “ficha” e do “role check list” que cada uma recebeu ao entrar no auditório.


A “ficha” era basicamente uma ficha, onde você colocava seus dados e blablabla. E o “role check list” era uma parada onde você enumerava, em ordem de preferência, as funções que você gostaria ou não de exercer na Disney, caso fosse aprovado.



Os recrutadores da Disney, que iriam ministrar a palestra, se atrasaram umas 2 horas. Eles eram três, uma brasileira, um cara que eu acho que era latino e um italiano.


Na palestra eles falaram basicamente sobre o programa e mais especificamente sobre as funções disponíveis.


Quando acabou o negócio, algo em torno do meio dia, peguei minha senha. Eu seria entrevistado às 16h40min do mesmo dia, o que foi bom, pois eu não ia precisar ficar em São Paulo mais de um dia. Não que eu não tenha gostado de São Paulo, ou que eu estivesse ansioso em voltar pra Gaspar, mas não seria necessário gastar mais dinheiro com táxi e hotel.


Então, como eu tinha uma tarde inteira pela frente pra ficar de bobeira, enquanto não chegava minha vez, fui bater um rango na Avenida Paulista que ficava ali pertinho.


Comi um nº 1 em um Mc Donalds gigantesco que tinha por lá. Depois fui à Fnac que ficava, praticamente, do outro lado da rua. Animal. Eu que estava acostumado com a Livraria Alemã, entre outras aqui da região, que só vendem livros de “auto-ajuda e misticismo barato”, fiquei impressionado. Os caras tinham tudo. TUDO! A parte de direito e quadrinhos mesmo, era muito massa.


Dai fiquei mais um tempo de “bobi” ali e, a posteriori, voltei pro Pestana. Fiquei no saguão com “a galera”, só esperando pra ver o que o pessoal que saia das entrevistas falava.


Eu tava com umas minas que iam ser entrevistas às 16h00min, por isso, às 15h20min agente subiu pro auditório, aonde estavam rolando as entrevistas, pra já deixar a papelada pronta e tudo o mais.


Às 15h40min, pasmem, o italiano me chamou para ser entrevistado. Não sei o quê que rolou, mas me chamaram uma hora mais cedo, antes até das gurias que iam ser entrevistadas às 16h00min horas.


O italiano me entrevistou e uma outra guria ao mesmo tempo. Foi bem tranqüilo, o cara era bem gente boa e tals. E não, não vou dizer o que ele me perguntou por que, senão, a guria do mal da STB iria brigar comigo o dia que ela lesse isso. A entrevista durou 18 minutos.



Sai. Esperei as minas serem entrevistadas. Voltamos para o lugar x. Fomos para a rodoviária, que era gigantesca. Às 20h30min peguei um catarinense de volta à fazenda.


Postado originalmente em 11/09/2007:


Faltam, aproximadamente, 9 dias, 1 hora, 56 minutos e 13 segundos para sair o resultado do bizu da Disney.


Vale lembrar que, na remota possibilidade de eu ser aprovado, precisarei de muitos dolares pra bancar a parada, então, clique agora no banner que se encontra na parte inferior dessa página!


Postado originalmente em 16/09/2007:


De acordo com uma apostilinha, entregue no dia da palestra em São Paulo, esses são os custos envolvidos no WDW ICP:


Antes de partir:

Visto: $100

Taxa de reciprocidade (visto): $0 - $500


Passagem área: $500 - $2.000

Seguro médico: $130 - $200


Já em Orlando:

Assesment fee: $85

Aluguel da primeira semana: $71 - $125

Primeiras idas ao mercado: $50 - $100

Sapatos: $30 - $50


Fora que, tu só recebe o primeiro salário depois de umas duas semanas, dai eles recomendam levar uns $300 - $500 pra se manter durante esse período.


Postado originalmente em 22/09/2007:



A parada foi assim: após ser entrevistado no dia 29/08, iniciou-se uma dolorosa espera pelo resultado do WDW ICP. Espera que se encerrou no dia 13/09, quando recebi um e-mail dizendo que eu havia sido aprovado.


Uns dois dias depois, recebi a ligação do “job offer”, onde a gúria disse que eu ia começar a “trampar” no dia 19/11, que eu ia trabalhar como full service e, na mesma oportunidade, mandou-me um boleto de 506 mangos pra pagar, referente à assistência médica internacional e taxas consulares.


Após pagar o boleto, entrei no site do consulado estado-unidense e preenchi o formulário DS-156, onde, entre outros, respondi o seguinte questionamento:


“Alguma vez distribuiu ou vendeu ilegalmente substâncias controladas (drogas), praticou ou foi agenciador de prostituição? (X) Sim ( ) Não”


Agora é só esperar a entrevista no consulado, que será em meados de outubro, e mendigar para os professores adiantarem as últimas provas para mim.


E, pra finalizar, uma informação muito elucidativa retirada de um blog de brasileiro que já participou do programa:


“ieeeeeee, genteeeee que frioooooooooooooo…..o tempo aqui e doidoooo, muda toda hora….aiee q canseiraaaaaaaaa uahauauha aquelas q muda de assunto do ndaa, to so o po hoje, cansadaaa dmaiss, graças a deus to off amanha, I mean…parcialmente off pq eu vou fazer uma hora extra no EPcot no crowd control, sei la o q e isso rssrrss mass eu vou, a Sandra e a Angela minhas amigas do Peru vao tbem rssrsr….”¹


Postado originalmente em 24/09/2007:


Enquanto consultava Deus sobre informações acerca das acomodações dos Cast Members, achei alguns sites interessantes:



Tem esse site bem maneiro de um guri lá dos EUA que fez o programa de 8 meses. Tem uma porrada de fotos, desde o Vista Way, onde o cara morou, até fotos de todos os parques, entre outras. É legal dar uma olhada pra ter uma noção e tals.


* johnremus.com/disney


Ainda nesse sentido, no site oficial do programa tem umas fotos 360º do quartos, entre outras informações.


* wdwcollegeprogram.com



E nesse daqui também tem umas fotos do Vista Way.


* tc.umn.edu/~wdwcp/housing.html


Na mesma oportunidade, achei uns depoimentos de uns caras que participaram do programa e não gostaram:


* 01


* 02


Achei, ainda, esse site de um cara que foi custodial na Disney.



* geocities.com/mksweeper


Obrigado, Senhor


Postado originalmente em 24/09/2007:


Verdade seja dita: A STB deve me considerar o participante do WDW ICP mais chato de todos os tempos. Além de manter este blog, eu ainda fico mandado vários e-mails para eles com todo tipo de dúvida. Foi mal, en preve pararei.


Respondendo suas questões:


1 - Não será necessário levar um tradução juramentada de sua Certidão de Nascimento para os EUA. No entanto, você deverá levar o original deste documento, uma vez que o Consulado não aceita cópias e nem mesmo outros documentos poderão suprir a necessidade de apresentar a Certidão original.


2 - Existem outras taxas as quais você pagará diretamente ao Consulado Americano para a emissão de seu visto. Mais informações sobre passagens aéreas, visto, assistência médica, entre outros assuntos, serão passadas durante a reunião Information Session, a qual será agendada e divulgada na área de Selecionados em breve.


Postado originalmente em 30/09/2007:



Minha entrevista no consulado vai rolar no dia 16/10. A lista de documentos necessários para a obtenção do visto J-1 para os Estados Unidos é a seguinte:


1. Passaporte válido (mínimo até MAIO DE 2008).

2. Passaporte anterior (ORIGINAL), com visto americano anterior mesmo vencido. (Caso possua).

3. Formulários para o visto americano, DS-156, DS-157 e DS-158.

4. 1 foto 5×7 cm recente com menos de um ano (deve ser sem óculos e 80% da foto deve ser ocupada pelo rosto, não deverá ser datada).

5. Você deverá providenciar o pagamento em dinheiro da taxa consular de solicitação do visto americano, paga em qualquer agência do Citibank, no valor de U$ 100,00 (O Citibank aceita somente pagamento à vista em reais). O Citibank irá solicitar seu passaporte, portanto leve-o com você.

6. U$ 40,00 em dinheiro (US dollars, cash) referente ao J1 - Summer/Work Travel Visa. Esse valor será pago na emissão do visto após a entrevista no Consulado Americano. O Consulado pede para que você leve o valor exato.

7. Comprovante de escolaridade, sendo um comprovante de matrícula e seu último boleto.

8. Histórico escolar e carteira Universitária


9. Extratos bancários (do candidato e do patrocinador da viagem).

10. Cópia da Declaração de Imposto de Renda com o recibo de Entrega requerente ou de quem for dependente. Caso não declare, deverá apresentar o comprovante de isento.

11. Carteira de Trabalho com os últimos holerites ou Contrato Social com DECORE informando as retiradas mensais ou Prova do meio de vida do patrocinador (quem vai pagar sua viagem).

12. Cópia do Certificado de Propriedade de algum automóvel e/ou imóvel do passageiro ou do patrocinador.

13. Formulário DS 2019 que será enviado pela Walt Disney World, o candidato deverá assiná-lo no dia em que iremos estipular.

14. Comprovante de pagamento da SEVIS Fee. O valor desta taxa é de U$ 35,00 e deverá ser paga pelo candidato mediante a chegada de seu DS_2019 que será enviado pela Disney. Você receberá instruções futuramente sobre como efetuar o pagamento desta taxa.


Postado originalmente em 02/10/2007:


Vai ser sugado pra caramba arranja aquela montuera de documento pro visto até o dia 16/10. Mô burocracia, meu.


Espero que não de nenhuma merda lá no dia também.



Postado originalmente em 06/10/2007:


Então, essa semana, começou na Metrópole aquela famosa festa pagã que celebra o álcool. Até o dia 17, todas as ruas estarão entupidas de turistas embriagados tocando o foda-se. E nem pense em andar de Green Valley depois das 20 horas, pois todos os ônibus estarão socados de gasparenses tocando o foda-se. Triste.


É, como eu já havia dito, terça que vem vou lá em SP contar umas lorotas pro pessoal do Consulado. Espero que não fiquem embaçando e me concedam logo a porcaria do visto. De qualquer sorte, estou mais preocupado em chegar lá no horário designado do que qualquer outra coisa. A parada vai começar às 8h30min, dai quero ver se pego um busão na segunda de noite pra chegar em Sum Paulo ali pelas 5-6 horas do dia 16. Como chegarei no Consulado ainda é uma incógnita, mas, o mais provável, é que um funcionário da Maas & Bozzani S/A vá me buscar e levar até o local. Não que você, perdedor que chegou aqui procurando pelos vídeos da Rita Cadillac, se importe com isso.


Sim, 99% das pessoas que “lêem” este blog, estavam procurando por putaria no Google.


Postado originalmente em 06/10/2007:


Se meu visto for concedido, irei dia 19.11 para os Estados Unidos. Lá, a Disney me pagará por hora. Só a guisa de curiosidade, sente só o mínimo que se pode pagar por hora em algumas cidades dos Estados Unidos¹:


Washington, D.C., Virginia e Maryland: US$7.39;

Miami: US$6.51;


Orlando: US$6.49;

New York: US$9.47;

Chicago: US$7.20;

Los Angeles: US$7.66;


Como se eu já não recebesse um salário de fome no Brasil, adivinhe em qual dessas cidades a Disney fica…


Postado originalmente em 08/10/2007:


Eu sô cagado mesmo…


Pô, meu negócio no consulado vai ser terça-feira que vem às 8 horas da manhã. Para tanto, irei pegar um busão na segunda de noite.


Dai, hoje de tarde, me liga uma menina da STB e diz que o DS-2019, documento indispensável para obtenção do visto, vai chegar na minha casa, provavelmente, segunda de tarde. Tá de saca né?!



To na mão do palhaço agora. Vou ter que esperar até segunda que vem para receber um documento, que virá acompanhado de uma taxa, que só dá pra pagar pela internet e com cartão de crédito internacional. Sendo que, se eu não receber a porcaria, e nem conseguir pagar antes de ir, eu nem preciso mais ir, entende?


Vale lembrar, que se não me mandarem a parada em tempo hábil, irei acionar meus advogados para reaverem, em juízo, todo o dinheiro que gastei e deixei de ganhar, bem como uma indenização por dano moral cominada com pensão vitalícia.


Postado originalmente em 09/10/2007:


1) Como vocês sabem, meu cartão da Caixa foi cancelado três vezes nos últimos dois meses. Sendo que continua cancelado, já que ainda não recebi o novo cartão. Cartão este que, frise-se, eu não solicitei.


Com o cartão cancelado só dá pra sacar dinheiro no “caixa humano”. Dai tá, hoje me dirigi à agência da Caixa aqui em Gaspar e, para a minha surpresa, os seus funcionários estavam em greve por, frise-se, tempo indeterminado.


A triste constatação é que não tenho um centavo no bolso, não posso usar os caixas automáticos por que meu cartão foi cancelado e nem posso sacar dinheiro nos “caixas humanos”, pois eles estão em greve.


Eu poderia tentar sacar dinheiro em alguma lotérica, mas ninguém em sã consciência enfrentaria uma fila de casa lotérica.


Feitas estas considerações, dirigi-me à agência do HSBC em Gaspar, onde mantenho uma conta-poupança. Chegando lá, também não logrei existo, visto que “o sistema está fora do ar, moço”.


Ok. Constatado que deus me odeia, e que, por este motivo, vem, paulatinamente, tentando sabotar a minha vidinha com o claro intuito de torná-la insuportável e ainda mais infeliz, me atirei na principal via gasparense, sem, no entanto, obter sucesso, já que, como se pode ver, continuo vivo. É claro que se eu tivesse caído no meio da Cel. Aristiliano Ramos, por acidente, com certeza eu teria sido atropelado por um ônibus da Green Valley ou qualquer coisa que o valha.



2) Ainda na minha inacabável saga em busca de trabalho altamente remunerado no “primeiro mundo”, mandei um e-mail para STB dizendo que se não me mandassem logo as “parada”, eu tava na m*rda. Isso foi o que me responderam:


“Informamos que você receberá seu DS-2019 a tempo de efetuar o pagamento da

SEVIS fee e vir para São Paulo. Por favor, aguarde.”


Acho improvável, já que deus não descansa nunca, mas tudo bem, vou esperar pra ver.


Postado originalmente em 11/10/2007:


1) Em conformidade com o que eu já esperava, hoje é quinta-feira (11/10), amanhã é feriado (12/10), terça-feira (16/10) é minha entrevista no Consulado, sendo que eu saio de Gaspar na segunda (15/10) e até agora não me mandaram o DS-2019 nem um tal de “kit visto”, ambos documentos indispensáveis para a concessão do visto J1 que estou pleiteando para poder ir trabalhar na Disney.


Tive cólicas intestinais a semana inteira tentando não pensar que isso pudesse acontecer, que tudo ia dar certo, que deus não me odeia, mas, para variar…


De certo eles esperam que eu dê a bunda ou algo assim pro cônsul: “pois é seu cônsul, não paguei a taxa lá, mas, quem sabe, nós podemos bater um papo, assim, intra corporis”.


Ou melhor, vão me mandar isso na segunda-feira às 18h30min, quando sai meu busão aqui de Gaspar rumo à capital paulista.



Se melar a parada, já vou avisando que vô “mete no pau”, hein!


2) Como meu cartão foi cancelado pela CEF, fato este que também já foi exaustivamente comentado neste blog, e aproveitando o fim da greve, ontem tive que enfrentar aquela filhinha de “semana-de-pagamento-cominada-com-retorno-da-greve-na-caixa-econômica-federal” pra poder sacar uns trocados. Já vi de longe aquela galerosa na frente dos caixas. No painel, vi, também, que a senha atual era a de nº 130. Peguei minha senha, nº 171. Iniciou-se a longa espera.


Nada como ficar 40 minutos em uma fila de banco para nutrir um forte ressentimento contra as outras pessoas, em especial velhos, office-boys, peões e congêneres. Quando você acha que a fila começou a andar, que em breve você será atendido, do nada aparece aquele senhor de idade com dúvidas sobre os seus benefícios previdenciários, ou que está tendo uma dificuldade hercúlea para cadastrar sua nova senha do cartão, e lá ele fica 30 minutos monopolizando um dos poucos caixas. Ou ainda, falta pouco para chegar a sua vez, e o próximo da fila é um office-boy que tem quinhentos cheques para compensar.


Isso sem contar que, basta você ficar em uma fila de banco por mais de 5 minutos, e algum cidadão, que você nunca viu na vida, vem lhe admoestar com papos sobre o clima e a opinião dele sobre a atual conjuntura política do Brasil, como se eu desse a mínima.


Mas tá, finalmente fui chamado:

- Eu preciso de um extrato e quero efetuar um saque;

- Mas isso tu pode fazer lá fora blablabla;


Tive vontade de extravasar minha raiva com a mulherzinha, mas me limitei a dizer:

- Eu não posso sacar lá fora, pois vocês cancelaram meu cartão;


- Ah… Mas extrato eu não posso tirar, tens que ir em uma das mesas (outra fila) e lá eles tiram pra ti.


Saquei. Entrei em outra fila. Depois de uns dez minutos, consegui a porcaria do extrato.


Tempo total: 50 minutos.


Sô cagado…


Postado originalmente em 14/10/2007:


Diante da inércia da STB, desesperado, no sábado de manhã fui lá na HQ dos correios aqui de Gaspar. Perguntei prum carinha que tava de bobeira se “só com o meu nome e/ou endereço dava pra saber se tinha algum sedex pra mim”. Ele perguntou meu endereço. E disse que sim, tinha um sedex pro meu endereço e tava na komboza dos correios pra entrega. Eram 10 horas da manhã. Fiquei feliz da vida, fui correndo pra casa, imaginando “quem sabe já entregaram enquanto eu estava fora”. Ledo engano, ou o cara tava de sacanagem comigo, ou simplesmente não estavam afim de ir lá em casa entregar. Vale lembrar que a HQ dos correios fica a uns 700 metros da minha residência. Só não vou xingá-los por que é crime xingar funcionário público no exercício de suas funções. Neste caso, o não exercício de suas funções.


Mas tudo bem, amanhã de manhã irei novamente aos Correios e vou perguntar se o cara tá de “caô com a minha cara, porra?”. E, é claro, ligarei para STB indagando-os: “Qualé mermão? Perdeu a noção do perigo?”


Vale lembrar, caso você, leitor assíduo, ainda não tenha captado a seriedade da situação, terça-feira é minha entrevista no consulado, sendo que saio de Gaspar AMANHÃ! E até agora não me mandaram dois documentos indispensáveis à obtenção do visto.


E eu achando que a parte difícil era ser entrevistado pelos recrutadores da disney. Pau na minha ponba!, pra variar.



Postado originalmente em 15/10/2007:


Puto da cara, contei tudo pra mim mãe, dona M., sobre aquele carteiro que havia me ludibriado no sábado de manhã. É claro que ela não titubeou, hoje de manhã ligou pro carteirozinho e jogou a real pra ele. Primeiro ele veio com uma história de que o cachorro estava solto e por isso não vieram entregar. De fato, o cachorro estava solto, ocorre, porém, que o cachorro deve ter, no máximo, uns 10 cm de altura, é um “viralatinha”. Hilário! Mas a dona M. não achou graça. Deu uma dura no moleque. Acuado, o cara teve a pachorra de dizer que vieram aqui no sábado, mas não tinha ninguém em casa. Mentiroso da porra! Meu pai, minha mãe, minha irmã e a diarista ficaram o sábado inteiro em casa. Evidentemente o vigarista estava de “caô com a cara” da dona M., e a dona M. não gosta disso. Dona M., imediatamente, ligou pra sua parceira, que, coincidentemente, é a CEO dos correios aqui de Gaspar. Em menos de uma hora um carteiro veio trazer o tão esperado sedex.


O “kit visto” é, na verdade, uma pastinha onde tu coloca os documentos, formulários, foto, passaporte e toda aquela papelada do visto. É tudo separadinho e tals.


E junto com o formulário DS-2019, veio mais uma taxa de 35 mangos americanos para pagar. Não sei por que a agência não manda só um boleto, no qual tu pagarias para eles todas as taxas de uma só vez e eles que se virassem com isso. Pô, uma semana é um boleto de 500 pila, na outra um boleto de 38 dolares, na outra uma taxa de 100 dolares, na outra uma taxa de 25 reais, daqui a pouco não vai mais me sobrar dinheiro pra ir nesse negócio.


Fora que, segundo boatos, a passagem vai custas quase 2 mil reais! Deve ser na primeira classe né, com direito a quengas e champange.


Só concluindo, foi um pau conseguir toda a papelada. Preencher aqueles formulários também foi um saco, sempre havia algo errado. Mas é isso ai, no fim deu tudo certo, talvez deus não me odeie tanto assim. Agora é só esperar pra ver se meu visto vai ser concedido, ou não. Espero que sim. Mas, só por garantia, já peguei com meu psicanalista umas amostras grátis de fluoxetina.


Postado originalmente em 18/10/2007:


A fim de poder relatar com a maior riqueza de detalhes possíveis, bem como diante da minha falta de tempo ultimamente, irei fracionar o relato sobre minha viagem à São Paulo em vários posts no decorrer dos próximos dias.


Da pré-viagem:



“Meu” ônibus sairia, rumo à São Paulo, da frente do Auto Posto Burgueisinho às 18:15. Como era minha mãe que ia me levar até o busão, saímos de casa ali pelas 18:16, já que ela sempre se atrasa. O trânsito ali no centro de Gaspar tava uma merda. Comecei a ficar preocupado. Foi então que, quando estávamos quase chegando no Posto, verifiquei que havia esquecido a cafifa para pagar o busão e demais dispensas em casa! Depois de me dar uma mijada, Dona M. desembolsou “meio quilo de garoupa” da carteira e me deu, cientificando-me de que eu deveria devolver-lhe a grana quando do meu retorno, sob pena de chibatadas.


Para minha tristeza, como só havia eu e uma outra mina aqui do interior, o ônibus não saiu de Gaspar, na verdade, uma Kombi da empresa veio aqui nos pegar e levou-nos até a garagem em Blumenau e lá embarcamos no ônibus propriamente dito.


E, como se já não fosse desagradável o suficiente andar de Kombi, a gasparense achou que seria uma boa idéia me mostrar as fotos do seu gato e do seu cachorro que ela havia acabado de tirar com sua maquina digital. Puta merda!


Chegando na garagem da empresa, embarcamos no ônibus e partimos rumo à São Paulo…


Postado originalmente em 19/10/2007:


Da viagi de ida:


A viagem foi tranqüila, o ônibus era bem confortável. Fora que esse ônibus que eu peguei é o bizu-mor. Uma passagem, só de ida, via Catarinense (ônibus leito) custa 150 mangos. Enquanto que com esse ônibus que eu fui, é 160 pila ida e volta! Fora que tem coca-cola de boa, chazinho de maçã e “os motora” são bem “xente” boa.


Dai tá né, eu tava conversando com uma outra guria, que também ia no consulado, sobre o visto e coisas do tipo, quando a gasparense, aquela das fotos na Kombi, que estava sentada um pouco mais pra frente, resolveu se meter, novamente, na minha vida. Disse que eu tinha que chegar cedo, já que quando ela foi pros Estado Unidos tinha muita fila e blablabla. Porra, gasparense é uma raça ruim mesmo, quase tive um momento tropa de elite com ela: “vai tomar no cú, filha-da-puta, sua burguesinha de merda!”, mas me limitei a soltar um “pois é” e retomar minha conversa.


Uma outra coisa que me deixou puto nessa viagem, foi o fato de que havia três filósofos de botequim atrás de mim, os quais ficaram conversando durante longas horas sobre a atual conjuntura político–econômica do Brasil, como se em algum momento de suas vidas tivesse lido alguma outra coisa que não fosse a revista “quatro rodas”.



Vale mencionar que na ida, algumas horas após o infeliz incidente com gasparense, os caras botaram “tropa de elite” pra passar no busão. Só que era piratão, dai tinha uns negócio bem diferente, em especial na narração, e o áudio era bem ruinzinho.


As 4:30, eu acho, chegamos ao nosso destino: 1º ponto da Avenida Paulista. Peguei um taxi até lugar X.


Ali pelas 5 horas, um motorista gentilmente cedido pela C. foi me buscar e me levou até o consulado.


Adendo: Andar por São Paulo às 5 horas da manhã é ainda mais fascinante. Aquela galerosa nos pontos de ônibus, os mendigos cochilando por todas as partes, as viaturas da PM em alta velocidade…


Do Consulado:


Cheguei no consulado às 5:30 e, puta-merda, já tinha uma fila gigantesca. Tudo bem, fiquei ali de bobeira na fila. Às 6:30, se não me falha a memória, um do guardinhas mandou o pessoal que tinha entrevista às 8:30 formar uma fila separada. Penetrei na parte externa do Consulado e entrei em mais um fila. Quando cheguei ao final dessa fila, uma guriazinha mal humorada perguntou meu sobrenome e o horário da minha entrevista. Ela conferiu na lista e me liberou. Ai passaram minhas coisas¹ no raio-x e, enquanto uma guardinha atentava contra o meu pudor com um detector de metais, outro guardinha surrupiou meu celular, botou no guarda-volume e me deu uma senha “cachorrenta”. Mas sério, a mina esfregou aquele detector de metais em mim, e quando ela passou com o negócio pelo meu bolso e a parada apitou, ela não fez como um guardinha normal faria: “o senhor tem alguma coisa de metal no seu bolso?”, não fez não, já foi metendo a mão na minha coxa, sem beijo na boca e sem dizer que me amava, como se eu fosse apenas um pedaço de carne desprovido de sentimentos.


Superado esse trauma, dirigi-me à parte interna do consulado.


Não obstante o consulado parecer, por fora, uma fortaleza de concreto e aço, por dentro é uma área aberta e totalmente arborizada, sendo que logo no comecinho tem um boteco superfaturado, um negócio de fotos e um caixa eletrônico do Citibank. Daí ta, fui seguindo pelo caminhozinho no meio do mato e cheguei no lugar onde o bicho ia pegar…


¹ Enquanto os outro perdedores foram de “mala e cuia” para São Paulo, eu fui só na carcaça, só com a roupa do corpo, a carteira e o celular numa mão, a pastinha com os documentos na outra e um ipod no bolso.



Postado originalmente em 21/10/2007:


Como eu havia dito, lá dentro do consulado é aberto e arborizado. Não sei se vou conseguir explicar direito, mas o lugar onde rolam as entrevistas é mais ou menos assim: tem um prediozinho, e na parte externa dele tem uns 16 guichês embutidos na parede. Na frente desses guichês, tem tipo uma área coberta só com uma espécie de eternit, sem paredes e com um monte de bancos onde tu espera. Entendeu?


Dai tá, tu vai sentando conforme ordem de chegada. Primeiro passa um carinha que pede o DS-156, DS-157, DS-158, foto e taxa do citibank paga. Ele grampeia tudo na ordem e te dá um papelzinho com o número da tua senha. A minha era a 12. Depois vem uma galega que confere os formulários, risca com uma caneta amarela se tiver algum campo preenchido errado e te manda consertar.


Então tu vai para uma fila relativa ao guichê denominado “pré-entrevista”. Nele a mina pega os formulários grampeados, bem como o seu DS-2019, acompanhado da SEVIS Fee, devidamente quitada, e o seu passaporte. Ela pega as “parada” pra ela, confere e manda tu ir no guichê denominado “caixa” para pagar a taxa de $40 referente ao visto J1. Você entra em outra fila e paga os $40, ou R$ 80, para um cara muito mal humorado. Você então é orientado a voltar para os banquinhos. Depois de uma hora mais ou menos, você é chamado para ir no guichê denominado “impressões digitais”, ou qualquer coisa que o valha, e uma americana com um sotaque muito forte colhe as impressões digitais dos seus indicadores e devolve pra você o passaporte e a papelada. Você volta pros banquinhos. Isso era umas 7:30 eu acho. Às 8:30 começam a abrir os guichês onde rolas as entrevistas mesmo. Uma a uma, as senhas foram sendo chamadas. Finalmente chamaram a de nº 12. Dirigi-me até meu algoz. O cara era americano, alto, meio careca e pareceu ser simpático. A entrevista foi toda em inglês e isso foi o que ele me perguntou:


Cara: - Pra onde você vai?

Eu: - Florida

Cara: - E vai trabalhar aonde lá?

Eu: - Na disney

Cara -”sound like fun”, e vais fazer o que lá?


Eu: -”Full service”

Cara: - Tais em qual semestre?

Eu: - Oitavo

Cara: - Vais te formar quando?

Eu: - Final de 2008

Cara: - Qual curso tu faz?

Eu: - Direito

Cara: - O que tu pretende fazer quando te formares?

Eu: Na verdade não sei, mas disse: - acho que advogado ou algo assim


Cara: - Preferes que área do direito: criminal ou cível?

Eu: Na real, não gosto de nenhuma área de direito, bem da verdade, eu sequer gosto do direito em si, mas disse: - criminal

Cara: - Ok, seu visto foi concedido.


Acho que a entrevista não durou dois minutos. Vale ressaltar que em todos os guichês você está separado dos caras por um vidro blindado e toda a comunicação com o outro lado é feita por um telefone.


Mas tá, dai eles te mandam ir pruma salinha do lado do último guichê pra pagar o sedex. Explicando: É necessário deixar o passaporte para que eles possam colar o visto e tals, e isso demora uns dias pra ficar pronto. Depois de feito, eles te mandam por sedex o passaporte. Só que, não obstante todas as taxas que você já pagou, você ainda tem que pagar a porcaria do sedex, 26 mangos pra mim que moro no sul


E é isso, tomei um cafezeta superfaturado, peguei minhas coisas com os guardinhas e vazei. Eram umas 9:30 quando deixei o consulado.


Volta:


[Acontecimentos x]


Às 15 hora o motorista, gentilmente cedido pela C., foi me pegar no lugar x e levou-me até a 25 de Março para dar uma voltinha. Velho, a 25 de março fede na acepção da palavra. É lixo por todo canto, esgoto escorrendo pela rua. Isso sem contar as milhares de pessoas por todas as partes. Todas medonhas, diga-se de passagem. Enquanto estava lá cheguei a me sentir bonito, ao menos eu tomo banho regularmente e tenho todos os dentes na boca.



O cara que me levou lá falou de uma tal “Santa Ifigênia”, uma espécie de 25 de março dos eletrônicos, fiquei a fim de ir, mas não ia dar tempo. Fui correndinho pro terminal “turístico” do Treme Treme de onde meu busão ia sair as 17:30.


A viagem foi regular, o único comentário que eu teria para fazer a respeito é o seguinte: ali em Taboão da Serra, se não me engano, paramos para jantar em um restaurante denominado “Caminhos do Sul” de propriedade de um cidadão que responde pela alcunha de “Gaúcho”. Se puder, evite. Além de custar 14 pila, eles servem carne fria.


As 6 horas já estava de volta nesse negócio que convencionaram chamar de “cidade”.


Postado originalmente em 21/10/2007:


Quem diria que aquele cara, que fez um requerimento mendigando um passaporte pro delegado há 4 meses atrás, que penou durante o processo seletivo, que suou pra conseguir os documentos pro visto, viria a ser o primeiro gasparense a ir pra Disney.


Mas é muito cedo para comerar, pois, como vocês sabem, deus me odeia. E como falta um mês ainda, e, em um mês muita coisa pode dar errado, então é melhor não cantar vitória por enquanto. Podem roubar meu passaporte, ou eu posso sofrer um acidente e ficar tetraplergico ou, ainda, eles podem perceber o grande erro que foi me aceitar e me banir para sempre dos EUA. Sei lá, nunca se sabe.


Se bem que, a pior parte ainda está por vir. Nas próxima semanas irei ter que comprar a passagem, que custará algo em torno de $950 + $150 de taxa de embarque + $50 de uma outra taxa inventada para extorquir as pessoas. Sugado.


Postado originalmente em 24/10/2007:


Esqueci de comentar algumas coisas:



- No consulado, colado ao vidro que separa você da gúria do sedex, tem um adesivo “só Jesus salva”. Não que isso tenha alguma relevância, só achei engraçado;


- Quando da minha ida ao consulado, nenhum dos documentos que eu tive um trabalho hercúleo para conseguir foram solicitados;


- A STB recomenda que você vá de roupa social ao consulado. Eu, tolo, fui de roupa social. A grande maioria do pessoal foi de roupa normal, e praticamente todos tiveram seus vistos aprovados, portanto, na minha opinião, vá de roupa normal mesmo, pois é muito mais “fresco” e confortável.


Postado originalmente em 26/10/2007:


Quando eu fui na segunda entrevista lá em São Paulo eu havia reparado algo, mas esqueci de comentar aqui. Então, quando eu fui lá no consulado me lembrei.


Na boa, eu devo ser o cara mais fudido, leia-se: pobre, que já participou desse negócio. Fato este que me lembra que será uma merda se eu tiver que dividir um quarto, ou simplesmente conviver, com algum burguesinho de merda tupiniquim. Com certeza terei que deixar aflorar meu lado “capitão nascimento” se algum desses derrotados resolver se perfazer pra cima de mim.


No mais, continuo na espera que a STB me ligue um dia desses com informações sobre minha passagem, já que, até a presente data, não paguei e nem sei como paga-la.


Um último adendo: não tenho nenhuma relação comercial com a STB, mas uma coisa que me incomoda é como esse pessoalzinho, leia-se: pretensos “cast-members”, adoram falar mal da STB: “ah, por que a STB é uma droga”, “ah, por que eu mandei um e-mail xingando a STB”. É claro que não se pode esperar outra coisa da juventude burguesa, sempre choramingando e reclamando, como se fossem as vítimas, os donos da verdade. Porra, não tá feliz pedi o boné, caralho. Não tá contente vai trabalhar na puta-que-o-pariu, filho-da-puta.


Era o que eu tinha a dizer.



Postado originalmente em 28/10/2007:


1) Só para contar, no dia 24.10, última quarta-feira, o meu visto chegou pelo correio, aproximadamente uma semana depois da entrevista no consulado. No caso, eles “colam” o teu visto em uma das folhinhas do passaporte. Um dia desses tiro uma foto para melhor ilustrar.


2) Passados “40 dias e 40 noites”, os filhos-da-mãe que trabalham na CEF, e que cancelaram meu cartão pela terceira vez consecutiva este ano, resolveram mandar-me o novo cartão, de forma que eu não preciso mais ficar na fila uma hora e meia para poder sacar dez reais.


Postado originalmente em 29/10/2007:


Caso você pretenda participar do ICP da Disney algum dia, segue, abaixo, mais uma lista de links interessantes:


* Orlando Florida Sucks! - Com certeza você conhece alguém que já foi pra Disney e que adora tecer elogios sobre Orlando, pois bem, este é um site de um cara que odeia Orlando. O cara, inclusive, relaciona algumas dicas para turistas que pretendem visitar Orlando:



“Don’t come here - Seriously, why would you? For Disney? The parks in Tokyo and Paris are MUCH newer and nicer than ours.”


* Current Inmate Database - Só mais a guisa de curiosidade, essa é a base de dados de encarceirados de Orange County, que é a “comarca” onde fica Orlando e Lake Buena Vista. Quem sabe algum amigo seu que participou do programa no ano passado foi parar no xilindró, nunca se sabe…


* WDW Online Guide - Como o nome diz, é um guia online da Disney com mapas, dicas, horários dos parques e coisas do gênero…


* Gabriela’s Site - Vista Way - Site duma mina ai com várias fotos do Vista Way.



* ANA Trabalhando na Disney - Blog duma mina ai que participou do ICP e depois conseguiu uma vaguinha no programa de 6 meses. Ao contrário dos outros blogs de cast members, esse respeita as normas mais elementares de gramática e possui informações relevantes referentes as funções que a guria exercia.


* Theme Park Review - Site com fotos dos parques, mais especificamente as montanhas russas, do WDW.


* Férias em Orlando - Dicas, roteiros, blablabla…

* TSA: Permitted and prohibited items - Lista de itens que podem, ou não, serem levados na sua “babagi” para os EUA. Infelizmente não poderei levar meu pé-de-cabra na bagagem de mão…



Postado originalmente em 31/10/2007:


disney cast member blog orlando

mickeyfeio.wordpress.com


Postado originalmente em 06/11/2007:


1) Esse negócio de ir pra Disney fudeu com a minha vida escolar. O Mr. M. adiantou pra mim a prova que ele ia fazer no dia 06.12, adiantou para o dia 05.11, e “vô ti dize pra ti”, tava um doce, 10 questõezinhas subjetivas. Isso sem contar as outras 5 provas que vou fazer essa semana. “Pau na ponba”!


2) Nota de repúdio: Sempre que eu ia ao McTrouxas, já era praxe eu pedir um nº 1 com Nestea. Então, ontem após uma aulinha básica do Mr. M. fui lá disposto a pagar 11 pila pelo “lanche” deles. Para minha surpresa, fui informado pela guariazinha que não tinha mais Nestea, que toda rede do McTrouxas havia substituido o Nestea por Coca Zero. Coca Zero? É bem típico desses derrotados tomar Coca Zero para não engordar. É, o cara vai lá, enche o cú de hamburguer e batata frita, mas toma Coca Zero pra equilibrar. Vão tomar no cú.


Postado originalmente em 09/11/2007:


Em junho deste ano, quando iniciei minha longa e estafante saga em busca de uma “tetinha” na Disney, ouvi um cidadão perguntar ao palestrante da Agência: -”Quanto dinheiro custa esse programa?”, no que o palestrante respondeu: -”ah, só tens que arcar com o custo da passagem, algo em torno de $ 950″


Só a passagem meu piru! Quem me dera custasse só isso, e, por este motivo, ou seja, para melhorar informar o leitor que pretende ser Cast Member um dia, abaixo irei relacionar o quanto eu já gastei até agora pra participar da parada.



Entrementes, também o faço atendendo a inúmeros pedidos de leitores que acompanham minha jornada.


* Ida à Curitiba para participar da 1ª entrevista: R$ 40,00;
* “Preço” do passaporte: R$ 156,00;
* Terno para ir na 2ª entrevista: R$ R$ 199,00;
* Passagem (ônibus) para ir à São Paulo na 2ª entrevista: R$ 110,00;
* Passagem (ônibus) para voltar à Gaspar: R$ 130,00;
* Taxa de agendamento de visto + seguro médico internacional: R$ 506,00;
* Passagem ida e volta para ir a São Paulo na entrevista do visto: R$ 160,00;
* Taxa Citibank (visto): R$ 200,00;

* Taxa J1 (visto): R$ 80,00;
* Taxa sedex (visto): R$ 26,00;
* Taxa DS-2019 (visto): R$ 70,00;
* Enviar formulários para a Agência via sedex: R$ 26,00;
* Assessment fee: R$ 170,00
* Passagem (avião) para Orlando + taxa de embarque + taxa de emissão de bilhete + taxa de locupletamento ilícito: R$ 1.880,00;
* Passagem (avião) Navega Beach - Congonhas: R$ 384,00;
* Cafifa para as duas primeiras semanas em Orlando: R$ 1.500,00 = $ 750,00

Total gasto até a presente data: R$ 5.637, sim, inacreditáveis cinco mil, seiscentos e trinta e sete mangos! Isso sem contar eventuais taxas/golpes que eu tenha “sixquecido” de incluir na conta.

Portanto, caro colega que almeja ser um Cast Member, se alguém lhe disser que para participar do ICP você só gasta com a passagem, liberte seu lado Cap. Nascimento e diga na lata do peão –”ta de caô ca minha cara, porra?!”

Postado originalmente em 09/11/2007:

Desde o inicio, sempre advoguei em favor da STB quando os burguesinhos/cast-members reclamavam dela. Isso foi até ontem.

Caso você participe daquela “comunidade” do Orcú intitulada “Cast Member 07-08″, o que eu não recomendo, já que lá todas as respostas e informações são baseadas na achologia e no achismo, já deve ter percebido que o pessoalzinho que mora nos grandes centros, SP, RJ, MG, já estava com suas passagens em mãos no dia 22.10, isso mesmo, vinte e dois de outubro. Sendo que a Disney, supostamente havia estabelecido um prazo até o dia 07.11 para a STB emitir as passagens da galera.

Como naquela vez dos documentos pro visto, é claro que cagaram pra mim. No dia 06.11 me mandaram um e-mail, isso mesmo, não tiveram a decência de me ligar, solicitando meus dados pessoais, a fim de possibilitar a emissão da minha passagem.

Tudo bem, mandei os dados. No dia 7, ali pelas 13 horas da tarde, a guria me manda o boleto, via e-mail, é claro, e me informa que eu tenho até às 17:30 para pagar e mandar o comprovante pra ela.

Arquei com os custos de uma ligação para São Paulo e tentei argumentar, dizendo que era absolutamente impossível para mim pagar aquela porra, já que eu estava no meu local de trabalho. A mina se resumiu a dizer que o prazo era hoje, e que se eu não pagasse, eu ia pro barro. Na hora quis ter descarregado minha raiva nela a la “capitão nascimento style”, mas, como me é característico, apenas consenti com amargor.

Blablabla, C.B. cedeu a minha mendicância e, gentilmente, foi ao banco pagar a parada para mim.

O que eu quero dizer com tudo isso é que eu, sinceramente, acho que os caras tão de sacanagem comigo. Todos os outros derrotados recebem os formulários, kits e todas essas merdas com um mês de antecedencia, mas eu não, toda vida recebendo as coisas em cima da hora, no último dia. É claro que dessa vez não será diferente, enquanto todo mundo já tem a merda da passagem em mãos, eu não, claro que não. Provalmente nem me mandaram ainda, pois estão esperando pra mandar na segunda, já que quinta e sexta os correios não trabalham, dai a maldita da documentação só vai chegar em cima da hora, se chegar.

Lembrete pessoal: ir trabalhar na Universal da próxima vez…

Postado originalmente em 12/11/2007:

Conforme eu havia previsto:

“Informamos que o seu kit pré-embarque será enviado por Sedex 10 durante o decorrer dessa semana, de forma que o mesmo chegue a tempo de seu embarque.

Caso isso não seja possível, devido ao feriado de Proclamação da República, no dia 15 de novembro, o kit lhe será entregue no aeroporto de Guarulhos antes de seu check-in por um Staff do Departamento Disney.

Você será informado via e-mail ou telefone sobre o seu kit.”

Como sempre, só eu tenho prazo pra pagar e mandar as coisas…

Postado originalmente em 14/11/2007:

Eu tenho 21 anos e já sou careca. Não me orgulho disso, muito pelo contrário, tomo todos os hormônios de cavalo existentes no mercado negro para tentar reverter as coisas.

Assim como qualquer outro careca, a cada dia eu ia perdendo uns fios de cabelo. Isso foi até eu me meter nesse negócio da Disney, mais especificamente com a “agência” que cuida das paradas aqui no Brasil.

Puta merda, desde então, por conta do estresse, eu devo perder uns mil fios de cabelo por dia, o que só agrava o meu problema.

Os motivos foram vários, conforme já amplamente narrado neste blog.

Hoje, a coisa que expôs mais ainda meu coro cabeludo à luz solar foi a seguinte:

Como você que lê esta merda deve saber, eu embarco domingo e ainda não tenho minha passagem em mão, muito menos o comprovante do seguro médico internacional, condição sine qua non para ingressar nos EUA. Conforme e-mail que eu havia recebido da “agência”, eles iriam me avisar por e-mail ou por telefone a forma como eu iria obter esse negócio. É evidente que o feriadão começou e cagaram, como sempre, para mim. O que não é de se estranhar, já que, se eles não tiveram a decência de me ligar pedido os dados para a emissão da passagem, que dirá me avisar se irão mandar a parada pelo correio ou entregar no dia do embarque.

Então, hoje, segundo informações, as únicas outras duas catarinenses que vão participar do ICP receberam, via correio, o maldito “kit embarque”. Eu não recebi, é claro que não. E é claro que com o feriadão prolongado, nem adianta ligar, nem mandar e-mails pra “agência”. Ou seja, estou na mão do palhaço. Fora que, se eles mandaram por correio o negócio para mim, é evidente que os carteiros de Gaxpar me deram o golpe de novo e não vieram entregar, pois não estavam muito afim. Além disso, não sei se os correios funcionaram nesta sexta/sábado.

Pu-ta-que-o-pa-riu, fi-lho-da-pu-ta…

Postado originalmente em 16/11/2007:

Hoje, logo que acordei, dirigi-me até a central dos Correios aqui de Gaxpar. Minha missão era averiguar se já haviam mandado a porcaria da passagem e o negocinho da assistência médica internacional. Lá chegando, o rapaz disse que havia um pequeno embrulho com o meu nome. Era o tão esperado sedex. Aleluia, Senhor.

Agora sim posso dormir minhas últimas noites no Brasil tranqüilamente.

Entrementes, num último e final ato de mendicância, só falta eu pegar a mala que a C.B., gentilmente, irá me ceder.

Nesta reta final, gostaria de deixar registrado nos anais da história meu agradecimento a Srta. C.B. que foi uma peça fundamental nesta minha longa, estafante, árdua, interminável saga.

Desde o dia que ela me levou à Itajaí para buscar a porra do passaporte, que foi tão difícil conseguir, passando pelo dia que abandonou seus afazeres para pagar a merda do boleto, que a agência mandou em cima da hora, entre tantas outras demonstrações de sua compaixão pelos miseráveis, leia-se: eu.

Grande C.B., que foi a mão amiga que não me deixou desistir quando tudo parecia perdido, o abraço forte que me deu forças quando fraquejei, a carteira recheada nos tantos momentos de mendicância.

Obrigado, C.B.

Postado originalmente em 17/11/2007:

Esse será meu último post em terras gasparenses, e é bem provável que eu vá ficar um tempo sem postar nada até me assentar lá na “América”.

No mais, amanhã às 14:02 vou pegar um Tam em Navega Beach rumo à Congonhas, lá pegarei um busão até Guarulhos.

Se o Lula deixar, meu vôo sairá de Guarulhos às 22:45 e fará uma escala em Atlanta, devendo chegar em Orlando ali pelas 9 horas do dia 19 de Novembro.

Acho que é só isso mesmo, espero não ter esquecido nenhum documento, nem de colocar nada na mala, o que é impossível, já que eu sempre esqueço de alguma coisa, mas tudo bem, desde que não de nenhuma merda muito grande, já tá valendo.

Finalizando, entrei nesta jornada sem nenhuma perspectiva de sucesso, e agora, surpreso, dou o primeiro passo rumo ao desconhecido. Na mala levo apenas umas cuecas velhas. No coração, a satisfação de ser o primeiro gasparense a sair de Gaspar, e não só isso, o orgulho de ser um representante da nação gasparense no Exterior.

Concluindo, se meu avião cair em uma ilha deserta e eu nunca mais atualizar esta merda, espero ter ajudado algum infeliz que no futuro anseie participar do ICP da Disney Inc.

Só mais um coisa: não sei se já falei aqui, mas meu trampo será Full-Service Food and Beverage, o que significa que trabalharei em restaurantes “de bacana”. Serei tipo um “host”, vou ficar ali na porta, dai tu chega “ca tua patroa” no restaurante e eu pergunto: “Mesa para quantos?” e acompanho vocês até a mesa. Pelo menos foi o que me disseram, veremos se isso condiz com a realidade. Mas, o que eu quero dizer com tudo isso é que, se você é um burguês gasparense que resolveu passar as férias na Disney, pense duas vezes antes de ir comer no restaurante em que eu trabalho, pois sim, eu irei dar um cuspidão na sua refeição.

So long, suckers!

=]

Postado originalmente em 26/11/2007:

Para aqueles que andam se perguntando por que eu nunca mais postei nada, tudo nao passa de uma farsa! Consegui rapidamente fugir da minha sala para mandar esse pedido de socorro. Na verdade esse programa eh um esquema de aliciamento de belos garotos do terceiro mundo para integrar uma rede de prostituicao. Estou vivendo sob regime de trabalho escravo no qual sou obrigado a fazer no minimo 50 programas por dia. Nao aguento mais. Alguma alma boa precisa avisar a Policia Federal. Me ajudem!

Postado originalmente em 27/11/2007:

Olá pessoas!
Quem comparece com regularidade neste blog sabe que o sr. dono do blog se encontra, neste momento, na terrinha do tio Sam.
Por isso, ele me deixou o encargo de atualizar isso aqui de vez em quando, enquanto ele não arranja um jeito mais fácil de se conectar à internet.

Informo aos desinformados que o representante do povo gasparense já está trabalhando (começou ontem, 26.11.2007), e já me confessou que está com saudade da grande Gaspar!

Tenho autorização expressa para postar as fotos que ele me mandar aqui, o que será em breve.

Outra coisa é que o fuso horário lá, é -3 horas. Ou seja, esse exato momento, aqui na terrinha são 22:28, e lá é 19:28.

O horário de trabalho dele é das 10:45 às 21:00. Em suas palavras o primeiro dia no trabalho ontem foi bem legal, o pessoal eh bem bacana. Eh bem restaurante de ‘bacana’, com aqueles pratos elaborados e hiber-caros”

Então, estarei atualizando esse blog com a devida freqüencia que ele merece, durante essa estada dele na Terra Prometida.

Abraços

C.B.

Postado originalmente em 28/11/2007:

Depois de uma semana de lavagem cerebral, digo, aulas com a galera do Valdisnei, antes de ontem comecei a trabalhar de verdade. Estou trabalhando em um restaurante chamado The Coral Reef que fica no EPCOT. Meu horario de trabalho, essa semana, eh das 10:45 as 21 horas. Bem sugado.

Nesses dois dias que se passaram, exerci a funcao de Seater no periodo do almoco e o de “arrumador de mesas” no periodo da janta. Um dia desses explico melhor.

Postado originalmente em 29/11/2007:

Nao aguento mais comer comida congelada/junk food/cup noodles. Nao obstante, no meu trabalho, sou obrigado a assistir de longe a burguesia comer lagosta e picanha grelhada.

Ontem fui treinado na posicao de Greeter. Fiquei na portaria recebendo a galera, verificando as reservas, aturando os idiotas que nao sao capazes de esperar 10 minutos. So pra ter uma nocao, esse restaurante que eu estou trabalhando esta com as reservas esgostadas ate o dia 6 de janeiro! Entao, se voce nao tiver uma reserva, nao venha mendigar minha benevolencia.

No mais, nada de novo no front.

Postado originalmente em 02/12/2007:

Todos os condominios estavam cheios, entao nos colocaram num hotel denominado The Blue Heron. Eu estou na torre 2, apartamento n 1503, com dois outros brasileiros, um do nordeste e outro de Londrina.

A maioria do pessoal e de Sao Paulo ou do nordeste.

Eu nao sei como foi o processo de selecao la no nordeste, mas “vo ti dize pra ti”, tem uns caras muito lixo, cara que nem o portugues sabe falar direito.

Nao obstante, os piores sao os cariocas. E nao me refiro a fluencia no ingles ou esse tipo de coisa, mas sim ao jeito “malandrao” de ser dos caras. Lixo toxico.

Postado originalmente em 07/12/2007:

Americanos, ou estao ao celular ou estao ouvindo musica de maloqueiro em seus ipods. Ouvindo no ultimo volume, diga-se de passagem, os caras sao sem nocao aqui.

Sim, americanos, em sua grande maioria, sao gordos.

Sim, cast-losers-brasileiros nao se cansam de reclamar. O cara ouviu milhares de vezes que vai receber $6,67/hora antes de vir pra ca, mas isso nao e o suficiente para apaziguar o animo dos cast-losers-brasileiros. Cansei de ouvir gente reclamandos que “merece” ganhar mais. Passo merda na cara!

A primeira baixa brasileira foi de uma mina que pediu o bone por que “nao tava aguentando trabalhar tanto”. Socorro!

E, segundo a lenda, ano passado uma outra brasileira pediu o bone por que “tinha sindrome do panico e nao se adaptou a vida nos EUA”…

Postado originalmente em 13/12/2007:
E incrivel a quantidade de americanos andando em cadeiras de roda. Os caras sao muito leprentos.

Uma outra caracteristica interessante na America e que, se voce vai ao mercado, quase tudo vem em tamanho gigante. Fora que porcarias tipo “chulezitos” e refrigerante sao muito baratos. Na ultima vez que fui ao Walmart comprei quatro caixas com 12 latas de pepsi por 11 dolares. Ou seja, 48 latas de pepsi por 11 dolares!

Uma ultima consideracao: Surpreendentemente, se voce observar atentamente um grupo de japoneses/chineses vera que, ao contrario do que voce ve na TV, eles sao bem diferentes entre si.

Postado originalmente em 16/12/2007:

Dois fatos curiosos:

1) No restaurante onde eu trabalho existe uma cozinha bem grande. Nessa cozinha existe uma sala onde fica uma maquina de lavar loucas* industrial fabricada por uma grande empresa norte-americana. Afixada a esta maquina estao as instrucoes para sua utilizacao. As instrucoes estao em espanhol, somente em espanhol. Tire suas proprias conclusoes.

2) Uma coisa supreendente em relacao aos japinhas que trabalham na disney e que, nao obstante o Japao ser um dos paises mais avancados do mundo, me parece que ainda nao inventaram aparelhos ortodonticos por la, se e que voce me entende.

Postado originalmente em 30/12/2007:

Tem gente que traz dinheiro para comprar laptops, iphones e coisas do tipo. Eu sugiro que voce traga dinheiro para comprar uma CG Titan, por que “eu vou te dize pra ti”, tudo aqui em Orlando e longe pra caralho. O transporte publico e bacana, mas so tem um numero limitado de rotas e voce acaba demorando 2 horas para chegar aonde voce quer. Isso sem contar que os taxistas daqui sao uns pilantras despreziveis. E os que nao sao pilantras despreziveis, nao tomam banho.

Se eu nao tivesse ficado no Blue Heron, eu nao sei se ia aguentar. Ja to me incomodando pra caralho com um dos meus “roomies” que e um porco, imagina entao morar com 7 americanos em um dos outros condominios. As historias dos brasileiros que nao tiveram a mesma sorte que eu e foram colocados no vista way/triste houses/chatam sao horrendas. So pra ter uma ideia, eu que ja planejava fazer o J1 Academic depois de formado, acabei mudando de ideia.

No mais, tenho trabalhando umas 60 horas por semana e no dia 31 vou trabalhar das 14 as 01.

So mais um fato inusitado. Aqui na terrinha do Valdisnei eles adoram falar em “dreams”. “Dreams come true”, “land of dreams” e toda essa baboseira. So pra ter uma ideia de como tudo isso nao passa de “bullshit”, sente so o slogan desse ano do sindicato dos empregados de verdade do Seu Valdisnei: “Hey, mickey! What about my dreams?”. *risadas*



E a vida continua…

2 comentários:

Anônimo disse...

Gasparense,
Me diverti muito lendo a sua odisséia para Disney.
Gostaria que continuasse a escrever sobre como está sua vida hoje, continua estudando direito?
Tenho certeza que muita gente quer saber a seu respeito e torce por você. Sucesso.

Olivia disse...

Pois é, não sei nem como cheguei a esse blog. Mas cheguei! E A.D.O.R.E.I ler sobre a sua trajetória pra ser um CAST MEMBER! Espero que esteja valendo todo esse sacrficio. Estou me preparando para o J1 academic... já passei na entrevista.. mas eu sei que ter passado na entrevista com a galerinha da disney é o mais fácil nessa história td. Então tá. Só pra registrar que seu blog foi lido por mais uma =D
Bjão