segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Gabarito do Concurso para o TJ


Velho, hoje no fim da tarde, o trânsito no centro de Blumenau atingiu um nível de morosidade só antes alcançado pelo Judiciário.

Sem brincadeira; eu fui liberto da bola de ferro às 18:00; às 18:05, já no ponto defronte ao Shopping Neutrouxas, fui obrigado a pegar um ônibus socado até a baga, pois chovia muito e já não havia lugar no ponto pra se proteger das intempéries; sendo que às 19:00 horas eu ainda estava na Rua das Palmeiras. Sério, quase uma hora pra percorrer a distância de uns 10 km. Demorei uma hora e vinte minutos pra chegar no Bela, meu recorde pessoal.

E como se a demora não fosse ruim o suficiente, durante todo o trajeto havia um velho decrepito e catinguento sentado na minha frente que, a meu ver, nunca tomou um banho na vida, tamanha a fedanca que emanava de sua pele enrugada e pálida.
tribunal de justiça judiciário
Sobre a morosidade do Clube do Bolinha da Ilha da Magia, vulgo Tribunal de (in)Justiça(s), pelo menos em um aspecto eles costumam ser muito céleres: a concessão de benesses aos magistrados estaduais. Veja que, em consulta ao sítio do Clube do Bolinha nesta manhã, verifiquei que às 12:00 horas, a Associação de Juízes protocolou um requerimento pedido a instituição de 18º Salário, a concessão de próteses de silicone para todas as estagiárias de gabinete despeitadas e a construção de um túnel que sairá do subsolo da Torre 2 do Tribunal de (in)Justiça(s) e terminará na Ala VIP do Bokarra's; sendo que, pasmem, às 11:58 do mesmo dia, o pedido já havia sido deferido. Para não fazer injustiça com os outros servidores, foi-lhes concedido um aumento de dez centavos no vale alimentação.

E antes que me perguntem: “mas, caro blogueiro, não mereceria o Ministério Público também figurar no top of the pops da morosidade, juntamente com o nosso Tribunal e o trânsito de Blumenau?”

A resposta é clara como a água que corre pelo fedorento rio Itajaí-Acú (?!), “não”. E eu explico: Oras, para que se possa figurar no lista da morosidade, além da lentidão, imprescindível é que se FAÇA ALGO, qualquer coisa mesmo. O que não é o caso do nosso MP, eis que encontra-se eterno estado de dormência, só acordando de vez em quando pra mandar alguns paranaenses pra cadeia.

Enquanto isso, os direito difusos e coletivos, como a preservação do meio-ambiente, a efetivação dos direitos do consumidor e a persecução da moralidade administrativa, apenas para citar alguns exemplos, permanecem desconhecidos/ignorados por nossos opulentíssimos senhores doutores Promotores de (in)Justiça(s).

Se você dúvida, vá até o fórum da cidade e pergunte quantas ações o Promotor responsável ajuizou em benefício do meio-ambiente nos últimos tempos? Se a resposta encontrada não for “zero”, então há duas respostas possíveis:

a) o Promotor responsável faz valer seu salário de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) por mês (incluindo “auxílio” moradia de R$ 3.000,00 (três mil reais));
b) você mora na Dinamarca, país em que não foram praticados crimes contra o meio-ambiente nos últimos tempos.

Um comentário:

Roberto disse...

Essa vais adorar...

"O Conselho Nacional de Justiça puniu com a pena máxima de aposentadoria compulsória a bem do serviço público, 10 magistrados do Tribunal de Justiça de Mato Grosso envolvidos em esquema de desvio de recursos superiores a R$ 1,4 milhão."

Isso que é pena eihn!!! Aposentadoria compulsória, com proventos proporcionais ao tempo de serviço... Nossa, acabou a vida deles agora, é o fim da linha...

Só aqui na tupiniquinlândia mesmo...